CRÍTICA | YOU – 1ª temporada

Quando uma série consegue juntar personagens muito bem construídos, um roteiro sem falhas e uma história muito envolvente, não tem como não maratonar. Esse é o caso da primeira temporada de You, série do canal Lifetime, distribuída aqui no Brasil pela Netflix.

A trama, que é baseada no best-seller homônimo de Caroline Kepnes, mostra a vida de Joe Goldberg (Penn Badgley), o gerente de uma livraria no East Village, em Nova York. Um dia, ele conhece uma mulher que sonha em ser escritora, chamada Guinevere Beck (Elizabeth Lail), e rapidamente se apaixona. Mas mais do que isso, fica obcecado por ela e começa a fazer de tudo para conquistá-la – até mesmo eliminar qualquer pessoa que entre em seu caminho.

O mais interessante na série é que observamos tudo sob o olhar doentio de Joe. Ao mesmo tempo, por vários momentos, somos capazes de simpatizar um pouco com ele e torcer para que tudo dê certo entre os dois – o que pode causar um certo incômodo no espectador, que sabe que Joe está errado, mas a forma como o roteiro foi construído abre uma brecha para que esse sentimento seja possível.

Isso porque Joe não é retratado apenas como um psicopata obsessivo. Em boa parte da narrativa, vemos o personagem como um homem normal e até mesmo carinhoso, principalmente por causa da sua relação com Paco (Luca Padovan), a solitária criança que mora no apartamento ao lado, com a mãe dependente química e o padrasto violento.

Outro aspecto interessante no roteiro é a crítica ao excesso de informações que compartilhamos em nossas redes sociais. Na série, Joe foi capaz de descobrir tudo sobre a vida de Beck apenas pelo celular. Isso nos mostra os perigos de viver sempre conectado, pois alguém como Joe pode estar sempre vigiando.

Dessa forma, observamos a excelente atuação de Penn Badgley, ator conhecido por Gossip Girl. Ele faz um trabalho perfeito, pois é encantador, simpático e assustador ao mesmo tempo. Suas expressões e sua entonação de voz fazem dele o melhor personagem da série. Porém, Elizabeth Lail (Once Upon a Time) não fica tão para trás e mostra uma ótima performance, pois surpreende com a construção de uma aspirante a escritora que vive os dramas de um bloqueio criativo.

Outros três atores se destacam positivamente no enredo: Luca Padovan, Zach Cherry e Hari Nef, que interpretam, respectivamente, Paco, Ethan e Blythe. O trio é responsável por ser um escape cômico e emotivo em vários momentos e adicionam mais leveza à narrativa.

Assim, a imprevisível história nos envolve do começo ao fim e torna quase impossível não maratonar. E, quando achamos que a 1ª temporada será a final, o enredo deixa um ótimo gancho para uma 2ª temporada, já idealizada pela Netflix.

4.5

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*