PRIMEIRAS IMPRESSÕES | O MUNDO SOMBRIO DE SABRINA

O Halloween está se aproximando, assim como a estreia de O Mundo Sombrio de Sabrina, a nova série da Netflix baseada na história da Archie Comics. Primeiramente anunciada como um spin-off de Riverdale, depois revelada como uma série própria que poderia ocasionar em um crossover entre as duas, acabou, por fim, sendo direcionada à plataforma de streaming Netflix.

A escolha do showrunner Roberto Aguirre-Sacasa em migrar para o serviço foi certeira e permitiu que a trama se desenvolvesse de forma madura, mesmo sendo uma série direcionada ao público teen, e que não tem preocupações com audiência, público e horários. Para comprovar isto, temos a confirmação da segunda temporada da série antes mesmo de ter estreado.

Afastando-se do que conhecemos da sitcom Sabrina, Aprendiz de Feiticeira, lançada durante os anos 1990, que contava com um humor extremamente pastelão, a produção se mostra séria, sombria e encantadoramente assustadora.

A série consegue apresentar ao público um humor mais maduro, que se adéqua ao objetivo de entregar uma trama mais obscura, sobre um universo sombrio recheado de magia, mas que ainda assim conta com tramas adolescentes. Ao mesmo tempo que são abordados temas a respeito de bruxaria, ocultismo, necromancia e satanismo, são passadas mensagens sobre empoderamento feminino e bullying.

Um grande acerto da série foi a escolha da atriz Kiernan Shipka para o papel principal. A jovem atriz, que carrega uma grande bagagem do tempo em que interpretou Sally, filha de Don Draper na prestigiada série Mad Men, mostra-se competente para o papel a cada cena, dando o tom dramático e sombrio exato que Sabrina precisa, visto que, na série, a jovem enfrenta, a beira de completar 16 anos, um grande dilema entre abraçar por inteiro seu lado bruxa ou viver como uma humana.

O núcleo dos mortais da série é bem representado por Roz Walker (Jaz Sinclair), melhor amiga de Sabrina, que vivem protegendo a amiga Susie Putnam (Lachlan Watson), que constantemente sofre bullying pelos atletas da escola. Além disso, temos Harvey Kinkle (Ross Lynch), o doce e compreensivo namorado de Sabrina.

Já no núcleo dos bruxos, as tias de Sabrina acabam roubando a cena toda vez que aparecem. É interessante ver a polaridade entre as duas tias, que mostram Zelda (Miranda Otto) como uma tia mais rígida e controladora e Hilda (Lucy Davis) como uma tia mais doce, compreensiva e de personalidade bastante caricata. Além disso, ainda na família de Sabrina, temos Ambrose (Chance Perdomo), que mostra-se um primo em quem a bruxa pode contar para qualquer coisa. Por último e não menos importante, a série conta também com a presença de Salem, o famoso gato de Sabrina, que tem sua história contada durante o primeiro episódio.

Transitando entre dilemas e dramas adolescentes e o universo da bruxaria, O Mundo Sombrio de Sabrina acerta em cada detalhe, carregado ainda por uma atmosfera criada, essencialmente, por suas locações, que em diversos momentos lembram produções como Os Fantasmas Se Divertem (1988) e, a mais recente, Stranger Things. Com potencial para ser um dos grandes pilotos da Fall Season, a série tem tudo para agradar o público e fazê-lo se apaixonar pelo universo teen, mas ainda assim sombrio, da jovem bruxa.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*